X
X
 

 
 
 
 
 
Pick-upau online
Conheça o Projeto+

Saiba mais sobre o Projeto Darwin
 
O “Projeto Darwin” tem como principais características conhecer e divulgar os atributos naturais e culturais dos Biomas Brasileiros, com ênfase na Floresta Atlântica Tropical, incluindo áreas particulares e Unidades de Conservação.

Parcerias inéditas, comemoração de dez anos da Agência Ambiental Pick-upau e a celebração dos duzentos anos de Charles Darwin foram aspectos determinantes e coincidentes para o lançamento do projeto de pesquisa da organização.

Charles Darwin foi um observador da natureza e registrou com muita precisão a biodiversidade em vários ambientes. Darwin contribuiu grandemente para uma visão mais racional e objetiva do mundo e dos seres vivos e revolucionou o pensamento contemporâneo. Suas ideias, baseadas em observações de diversas espécies e sua relação com ambiente, continuam alimentando a curiosidade e discussões acadêmicas de biólogos e outros cientistas. A “Teoria da Evolução das Espécies” foi inclusive aceita oficialmente pelo Vaticano em 2008.

Além dos inventários biológicos das espécies predominantes da fauna e da flora (pesquisa), há o compromisso de sensibilizar o maior número de pessoas possíveis para tornar viável o desenvolvimento sócio-econômico das regiões inseridas no projeto e a preservação do ambiente.

Perguntas frequentes:

O que é uma Unidade de Conservação?

Unidade de conservação é um espaço territorial e seus recursos ambientais, incluindo as águas jurisdicionais, com características naturais relevantes, legalmente instituído pelo Poder Público, com objetivos de conservação e limites definidos, sob regime especial de administração, ao qual se aplicam garantias adequadas de proteção.

Porque é importante a realização de inventários biológicos?
Estudos estimam que cerca de 90% das espécies brasileiras ainda não foram descobertas. Estima-se que o Brasil possua cerca de 20% da biodiversidade do planeta, mas ainda desconhece a maior parte de suas plantas, animais e microrganismos. Há cerca de 200 mil espécies já descritas no país o que representa pouco mais do que 10% do total. Como benefícios diretos desta pesquisa existem a identificação de várias espécies comuns em diferentes áreas com possível aplicação para manutenção e preservação do patrimônio genético, dados preliminares para Bioprospeção e combate à Biopirataria, além da documentação do conhecimento de populações tradicionais (como indígenas e quilombolas) sobre o uso da biodiversidade, como o conhecimento sobre o emprego de plantas medicinais.

Por que o projeto chama Darwin?
A concepção do projeto de um inventário de Biodiversidade no ano em que se comemora os 200 anos do nascimento de Darwin pode ser considerada mais uma homenagem póstuma ao trabalho deste grande cientista. Charles Robert Darwin nasceu em Shrewsbury, na Inglaterra, no dia 12 de fevereiro de 1809. Publicou no ano de 1850 sua grande obra, o livro “A Origem das Espécies”. Nesta publicação, apresentou com rigor científico uma teoria considerada polêmica, e forneceu a estrutura básica aos cientistas e pesquisadores que estudam os seres vivos. Foi a partir desta teoria que foi possível entender que, desde a origem da vida, sucessivas mudanças genéticas ao longo das gerações em função das pressões do meio, resultaram a emergência de novas espécies. Darwin postulou que este processo é chamado de “Evolução”.

Quais os principais objetivos do Projeto?
O “Projeto Darwin” tem como principais objetivos, contribuir na promoção do desenvolvimento sustentável, através da ampla divulgação dos atributos naturais, culturais e científicos de Unidades de Conservação seus entornos. Auxiliar, através do descerramento do turismo ecológico, cultural e rural, o desenvolvimento sustentável das regiões abrangentes. Colaborar na intensificação do conhecimento através da ciência e da educação ambiental, desta forma, sensibilizar a comunidade local sobre as consequências da degradação do ecossistema.

Conhecer, compreender e aplicar os conhecimentos obtidos através do projeto para identificar as necessidades, prioridades e alternativas para a criação de uma economia local de origem conservacionista. Reduzir, no que for aceitável, o desenvolvimento predatório através da participação de novos investimentos da iniciativa privada (novos atores locais), da participação de governos, da sociedade civil em geral, e principalmente, da comunidade local e contribuir com projetos novos e outros já em andamento na Área de Proteção. Documentar a relação das comunidades indígenas e tradicionais com a fauna e a flora, bem como seus conceitos conservacionistas, científicos e culturais.

Quem pode participar do projeto?

Pessoas físicas e jurídicas, incluindo órgãos públicos de todas as esferas.

O Projeto Darwin é uma ONG?

Não. O ‘Projeto Darwin’ é um projeto do Pick-upau, uma organização não-governamental sem fins lucrativos, de caráter sócio-ambiental. O Projeto Darwin, bem como o Portal Pick-upau – Central de Jornalismo e Educação Ambiental, que reúne um dos maiores bancos de dados de informação ambiental do Brasil, totalmente gratuito, são ações do Pick-upau. Saiba mais sobre a ONG.

Como posso ser voluntário?

Efetuando o cadastro disponível no site. Você poderá participar de projetos de pesquisa e auxiliar nas tarefas em expedições científicas, contribuindo para o conhecimento e consequentemente a preservação e a conservação da biodiversidade.