X
X
 

Pick-upau online
Biodiversidade+
 
Turco contesta a teoria de Charles Darwin
‘Adnan Oktar', o rosto muçulmano do criacionismo 

O criacionista turco Adnan Oktar, tem sido comparado com celebridades de Hollywood como cientólogo Tom Cruise, pois usam sua fama para contestar a teoria de Charles Darwin sobre a evolução das espécies.

A diferença entre o astro norte americano e o Islamita Oktar, está na base da formação religiosa, para os cristãos as inspirações estão no Velho Testamento enquanto para os mulçumanos as verdades estão contidas no alcorão, a leitura destes livros sagrados é interpretada de maneira divergente. O comum a ambos é a incansável exposição de argumentos que põe em dúvida o evolucionismo darwiniano.

Oktar é mencionado pelo jornalista José Eduardo Barella do Jornal Estadão, como um dos principais contestadores das ideias ocidentais, mas que contraditoriamente apresenta-se bastante elegante e cuidadoso com a aparência; diferentemente dos fundamentalistas islâmicos que pregam o desapego da vaidade e bens materiais. O conservador turco faz-se lembrar um homem bomba quando lhe é citado Darwin - “Não existe um fóssil que comprove a evolução humana”- diz Oktar; “Não conheço nenhum crocodilo de 100 milhões de anos que depois teria se transformado num professor, por exemplo”, completa sarcástico. Estas frases são comuns em seu discurso além de que, dedica-se vitalmente para propagar contestações sobre a evolução.

Oktar publicou o livro, intitulado “Atlas of Creation” (Atlas da Criação), com o pseudônimo de Harun Yahya e nesta entre outras de suas obras, sustenta a ideia de que desde os primórdios de existência de vida não houve nenhuma modificação ou evolução nas espécies. Apesar de sua formação limitar-se ao curso de design de interiores, Oktar aborda em suas publicações assuntos de zoologia e paleontologia.

O lançamento do Atlas ilustrado composto por mais de 800 páginas e traduzido em onze idiomas, foi distribuído gratuitamente sem nenhuma solicitação em Universidades, jornais e entre um dos vários cientistas acadêmicos ao redor do mundo que receberam o exemplar, o biólogo Richard Dawkins eleito pela revista inglesa Prospect um dos três intelectuais mais importantes do mundo, criticou duramente a literatura - “É uma perda reconciliar os valores de produção cara e lustrosa deste livro com a impressionante idiotice do conteúdo”, citou Dawkins.

Em resposta, Oktar conseguiu através de seus advogados que o tribunal bloqueasse o site de Dawkins na Turquia e conseguiu também desativar milhares de blogs WordPress, a censura foi baseada na acusação de que tais sites apresentavam conteúdo difamatório e ainda declarou que “todos os terroristas são darwinistas”.

Em 1996 Oktar publicou o polêmico livro “Soykirim Yalani” (A mentira do Holocausto), em que apresentou os judeus não como vítimas, mas sim como culpados pelo nazismo; mas evita esclarecer este ponto de vista. Segundo o Jornal britânico “The Guardian” outro episódio conturbado envolveu o criacionista turco, a internação por 19 meses em um hospital psiquiátrico em 1986, que afirma ter ocorrido por “perseguições políticas”.

Reprodução/Julia Margaret Cameron

Da Redação